Português Italian English Spanish

Desemprego aumenta em 14 estados no primeiro trimestre

Desemprego aumenta em 14 estados no primeiro trimestre

Data de Publicação: 16 de maio de 2019 14:39:00
Segundo IBGE, 5,2 milhões buscam emprego há mais de um ano

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quinta-feira (16) novos dados sobre o desemprego no país. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNAD-C), a taxa de desemprego cresceu em 14 das 27 unidades da Federação no primeiro trimestre deste ano em comparação com os últimos três meses do ano passado.

As maiores altas da taxa de desemprego foram observadas no Acre (de 13,1% para 18%), Goiás (de 8,2% para 10,7%) e Mato Grosso do Sul (de 7% para 9,5%). Já os estados que tiveram queda na taxa, nessa comparação, foram Pernambuco (de 17,7% para 16,1%), Minas Gerais (de 12,6% para 11,2%) e Ceará (de 12,8% para 11,4%).

Na comparação com o primeiro trimestre de 2018, o desemprego aumentou em quatro Estados: Roraima (de 10,3% para 15%), Acre (de 14,4% para 18%), Amazonas (de 13,9% para 14,9%) e Santa Catarina (de 6,5% para 7,2%).

Tempo de desemprego

A pesquisa revelou ainda que 5,2 milhões de desempregados, ou 38,9% do total estão em busca de recolocação no mercado há mais de um ano; e 3,3 milhões (24,8%) estão em busca de oportunidade há dois anos ou mais. O índice de desemprego no primeiro trimestre de 2019 é 9,8% maior que no mesmo período no ano passado.

A taxa de desemprego média no país no 1º trimestre subiu para 12,7%, conforme já divulgado anteriormente pelo órgão, atingindo 13,4 milhões de brasileiros. Trata-se do maior índice de desocupação desde o trimestre terminado em maio de 2018.

A taxa de subutilização da força de trabalho chegou a 25% no trimestres - a maior já registrada pelo IBGE. Ao todo, há 28,3 milhões de brasileiros no grupo – que inclui desocupados, quem trabalha menos de 40 horas semanais e pessoas dispiníveis ao trabalho fora do mercado.

Mulheres e negros e pardos

A PNAD Contínua ainda revela que o desemprego segue maior entre jovens, mulheres e negros. No 1º trimestre deste ano, a taxa de desemprego na faixa etária dos 14 e 17 anos chegou a 44,5%. Entre 18 a 24 anos, subiu para 27,3%, chegando a 31,9% na região Nordeste.

A maior parcela de desempregados, porém, tem entre 25 a 59 anos: são 57,2% do total. Na sequência, estão os jovens de 18 a 24 anos (31,8%), os menores de idade (8,3%) e os idosos (2,6%).

As mulheres representam 52,6% da população desocupada e da população fora da força de trabalho (64,6%). Entre os homens, a taxa de desemprego ficou em 10,9% no 1º trimestre, ao passo que entre as mulheres foi de 14,9%.

O número de brancos desocupados representa 10,2%, abaixo da média nacional de 12,7% no trimestre. Já a de pretos e pardos ficou acima da média: 16% e 14,5%, respectivamente.

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário