Português Italian English Spanish

Assassino matou parceiro antes de cometer suicídio

Assassino matou parceiro antes de cometer suicídio


Dupla invadiu Escola Estadual Raul Brasil e matou pelo menos oito pessoas na manhã de quarta-feira (13)

Dez pessoas morreram e nove ficaram feridas em um atentado ocorrido na manhã deesta quarta-feira (13) na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. Os autores do crime são Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, ex-vizinhos e ex-alunos do colégio. Ao final do ataque, Guilherme matou Luiz Henrique e depois cometeu suicídio.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, os criminosos mataram com um revólver calibre 38, uma machadinha e uma besta, arma medieval que dispara flechas. 

Antes de chegar na escola, no entanto, a dupla foi até uma loja de veículos próxima e matou Jorge Antônio de Moraes, tio de Guilherme, com três tiros. Testemunhas apontam que Jorge Antônio havia discutido com o sobrinho um dia antes.

Após o primeiro crime, Guilherme e Luiz Henrique estacionaram na porta da escola e desceram encapuzados, empunhando as armas. Logo na entrada, alvejaram a coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Vieira Umezo e a agente de organização escolar, Eliana Xavier.

Ao chegarem no pátio, atiraram contra alunos do Ensino Médio que estavam no horário de intervalo. Ali foram atingidos Pablo Henrique Rodrigues, Cleiton Antônio Ribeiro, Caio Oliveira, Samuel Melquíades Silva de Oliveira e Douglas Murilo Celestino. Todos morreram. Todos tinham entre 15 e 17 anos de idade. Outras nove pessoas foram feridas e encaminhadas ao hospital, duas em estado grave.

De acordo com o último Censo Escolar, de 2017, a Escola Estadual Raul Brasil tem 358 alunos no Ensino Fundamental II e 693 estudantes no Ensino Médio. No local também funciona um centro de idiomas, chamado de CEL. Os criminosos tentaram entrar na unidade. Uma professora que estava no local se trancou em uma sala com os alunos. No corredor, Guilherme matou Luiz e depois se suicidou. 

A polícia chegou na escola oito minutos após os primeiros tiros na loja de veículos. Além dos corpos das vítimas e dos assassinos, encontrou objetos parecidos com coquetéis molotov, além de uma mala com fios. O esquadrão anti-bombas fez uma busca no colégio, mas não encontrou nenhum risco de explosão.

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, disse em entrevista coletiva que ainda não é possível dizer o que levou os jovens a cometerem os crimes. Guilherme, o mais novo, deixou a escola no ano passado após "problemas" não especificados pela investigação. Buscas foram realizadas na casa dos criminosos, e a polícia recolheu objetos pessoais dos dois.

Os corpos das vítimas do massacre serão velados hoje na arena de esportes da cidade. O governador João Doria (PSDB) decretou luto oficial de três dias no Estado. O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR) instaurou três dias de luto oficial na cidade. Aulas nas escolas municipais foram suspensas por dois dias, assim como nas escolas estaduais da cidade e também de Ferraz de Vasconcelos.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário