Português Italian English Spanish

Salvador foi o destino nacional mais vendido em 2020

Salvador foi o destino nacional mais vendido em 2020

Data de Publicação: 3 de maio de 2021 09:31:00
Estratégias adotadas pela Prefeitura, como revitalizações e promoções de pontos culturais, têm contribuído para a economia da cidade; Capital baiana foi um dos destinos escolhidos para participar do projeto-piloto de Destino Turístico Inteligente do Brasil

No dia 13 de novembro de 2020, o Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos de Salvador, reabriu ao público após ficar fechado por oito meses por causa da pandemia do novo coronavírus. Uma cerimônia fechada a convidados e imprensa foi realizada para marcar a reabertura do cartão postal baiano, que abriga também o Museu Náutico da Bahia, que conta com um acervo histórico formado por objetos de diversas épocas, alguns deles submersos por até 300 anos.

Ações como esta, de reaberturas e restaurações, ajudaram a fortalecer a retomada do turismo na capital baiana e colocaram a cidade de Dorival Caymmi como o destino nacional mais vendido em 2020. Estratégias realizadas pela Prefeitura, através da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), vêm dando certo e contribuem para a economia da cidade. Prova disso são os dados divulgados pelo anuário da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (BRAZTOA), que revelam que a capital baiana foi o destino mais vendido nacionalmente em 2020, seguido de Maceió e Natal (2º) e Rio de Janeiro e São Paulo (3º). Somente o Nordeste recebeu cerca de 2 milhões de turistas através das operadoras da Braztoa, representando 70% das vendas nacionais.

 

Para que essa conquista fosse possível, foi necessária a realização de ações para mostrar ao visitante a importância de conhecer ou voltar à cidade. Dentre as iniciativas adotadas também estão a atração de visitantes as obras de requalificação da orla, a criação do Selo Verificado e certificação do Safe Travel, a revitalização do Centro ao Atendimento ao Turista (CAT), o Capacita – programa de capacitação dos trabalhadores formais e informais do segmento turístico, e a promoção de press trips com jornalistas internacionais. Houve, ainda, a reabertura dos equipamentos culturais administrados pela Secult seguindo todos os protocolos de segurança e sanitários: Casa do Carnaval, no Centro Histórico; Casa do Rio Vermelho – Jorge Amado e Zélia Gatta; e espaços Carybé das Artes, no Forte São Diogo, e Pierre Verger da Fotografia Baiana, no Forte de Santa Maria.

 

“Isso é fruto de um trabalho realizado desde 2013, onde Salvador foi completamente reconfigurada e essa transformação possibilita que o destino turístico esteja mais estruturado para seus residentes e preparado para receber os visitantes.” avaliou Fábio Mota, titular da Secult.

Turismo inteligente.

Salvador foi uma das cidades escolhidas para participar do projeto-piloto de Destino Turístico Inteligente (DTI) do Brasil, criado pelo Ministério do Turismo (MTur). A iniciativa tem como objetivo preparar os municípios para que possibilitem experiências inovadoras aos visitantes, melhorando e potencializando o desenvolvimento do turismo tecnológico, sustentável e acessível, além de apresentar destinos mais atraentes tanto para os turistas quanto para os residentes. Ao todo, dez municípios fazem parte da primeira etapa do DTI, sendo duas em cada região do país. São eles: Rio Branco/AC e Palmas/TO (Norte); Recife/PE e Salvador/BA (Nordeste); Campo Grande/MS e Brasília/DF (Centro-Oeste); Florianópolis/SC e Curitiba/PR (Sul); e Rio de Janeiro/RJ (Sudeste). As informações são do site do Ministério do Turismo.

“Vamos agora, usando a tecnologia, mudar a realidade do turismo para o turista internacional que chega no Brasil e, também, para os brasileiros. Com a pandemia, cerca de 11 milhões de brasileiros que viajavam para o exterior agora estão conhecendo o próprio país. Temos o desafio de fidelizá-los para que cada vez mais o brasileiro se orgulhe do seu país e viaje dentro dele”, destacou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

O modelo metodológico foi criado a partir de uma parceria com o Instituto Argentino Cidades Del Futuro (ICF) e com a Sociedade Mercantil Estatal para a Gestão da Inovação e as Tecnologias Turísticas (Segittur), da Espanha, instituições pioneiras no segmento.

Dentre as iniciativas estão o desenvolvimento de uma metodologia adaptada à realidade brasileira para a realidade de Destinos Turísticos Inteligentes; a realização de um diagnóstico situacional dos destinos que farão parte do projeto; a capacitação de gestores federais e locais; o acompanhamento da implementação das soluções relacionadas à eficiência na governança; a correta utilização de recursos públicos; o respeito às normas de acessibilidade e aos princípios de sustentabilidade; e a utilização da tecnologia a favor da valorização dos destinos e seus patrimônios, ao mesmo tempo que atenda às demandas dos turistas e visitantes.

 

Salvador foi o destino nacional mais vendido em 2020

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário