Português Italian English Spanish

Reações alérgicas a vacinas contra COVID-19 são extremamente raras e exigem cuidados extremos

Reações alérgicas a vacinas contra COVID-19 são extremamente raras e exigem cuidados extremos

Data de Publicação: 20 de janeiro de 2021 09:45:00
O Dr. Thomas Clark, epidemiologista do CDC., observou que as pessoas que sofrem anafilaxia após receber uma injeção da vacina não devem receber a segunda dose.

O CDC, reunido em 18/12/2020 para deliberar sobre a provação emergencial da vacina do laboratório Moderna para uso na pandemia COVID-19, avaliou outros aspectos das vacinas aprovadas nos EUA.

Muitas das deliberações do comitê se concentraram nas reações alérgicas graves relatadas em vários casos após as injeções da vacina Pfizer-BioNTech, que contém ingredientes semelhantes aos da receita da Moderna. Seis casos de anafilaxia já foram documentados nos Estados Unidos e dois na Grã-Bretanha, o que dá uma incidência de 0,0022%, pois mais de 272.000 doses da vacina Pfizer-BioNTech já foram distribuídas em todos os Estados Unidos. Não ocorreu nenhuma morte relacionada a estas reações.

O Dr. Thomas Clark, epidemiologista do CDC., observou que as pessoas que sofrem anafilaxia após receber uma injeção da vacina não devem receber a segunda dose. Ainda não está claro se um ingrediente da vacina da Pfizer foi a causa direta das reações. Alguns especialistas apontam para o polietilenoglicol, ou PEG, um produto químico encontrado em muitos produtos farmacêuticos, incluindo laxantes, que muito raramente causa reações alérgicas. As vacinas Pfizer-BioNTech e Moderna contêm PEG, embora em formulações ligeiramente diferentes.

O CDC está recomendando que as pessoas que sabem que têm alergia severa a qualquer ingrediente das vacinas se abstenham de tomar as injeções por enquanto. Pessoas com histórico de anafilaxia a outras vacinas ou terapias injetáveis devem consultar seus médicos e permanecer no local para monitoramento por 30 minutos após a inoculação, caso comecem a se sentir mal. Todos os outros - incluindo pessoas que reagem fortemente a outras substâncias como alimentos, pólen ou pelos de animais de estimação e pessoas com alergias leves de qualquer tipo - podem sair após 15 minutos.

Enquanto isso, no Brasil não existe nem previsão de data para inicio da vacinação, e a disseminação da doença só aumenta, assim como a mortalidade, com comprometimento inclusive da capacidade de atendimento dos sistemas público e privado de saúde. Quando a vacina estiver disponível não deixe de se vacinar; exija das autoridades que a vacina seja fornecida rápida e gratuitamente.

Fonte: The New York Times. December, 2020.

 

Reações alérgicas a vacinas contra COVID-19 são extremamente raras e exigem cuidados extremos

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário