Português Italian English Spanish

Durante encontro em Brasília, Anny Espínola destacou a importância do Parlamento Feminino de Fronteira

Durante encontro em Brasília, Anny Espínola destacou a importância do Parlamento Feminino de Fronteira

Data de Publicação: 12 de julho de 2019 Acompanhada de autoridades do Departamento de Amambay e do Mato Grosso do Sul, a vereadora falou sobre uma proposta oficial que será encaminhada ao Itamaraty em agosto

Nessa quinta-feira (11), a vereadora Anny Espínola esteve no encontro entre a Comissão de Relações Exteriores (CRE) e especialistas ligadas ao Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), em Brasília.

Acompanhada de autoridades do Departamento de Amambay e do Mato Grosso do Sul, a vereadora falou sobre uma proposta oficial que será encaminhada ao Itamaraty em agosto, e destacou a importância da presença do Embaixador Adalnio Senna Ganem, que deve viabilizar as tratativas.“A proposta trará dados sobre ações em curso conduzidas por municípios brasileiros e [apontará] de que forma as cidades dos outros países podem incrementar estas políticas públicas”, disse.

A vereadora agradeceu ao presidente da Comissão de Relações Exteriores, senador Nelsinho Trad, pela proposição da presente audiência pública e pela oportunidade de debatermos, no Senado da República, tema tão importante. "Falar do Parlamento Feminino nesta Augusta Casa de Leis é uma honra. Creio que represento aqui milhares de mulheres que sonham em ter voz, para expor a violência que sentem diariamente." disse. "As violências de gênero registradas na fronteira, nao sao diferentes de outras localidades do Brasil e dos países vizinhos ao nosso. Porém, existem alguns agravantes." ressaltou a vereadora.

Representantes das embaixadas do Uruguai, Paraguai e Bolívia também participaram da audiência manifestaram apoio e iniciaram os primeiros contatos com as secretarias de Segurança Pública de Santa Catarina e de Mato Grosso do Sul, que também estavam presentes.

Giovana Corrêa, subsecretária de políticas públicas para mulheres de Mato Grosso Sul, destacou a importância do MS Fronteiras para o encontro da Codesul. "O intuito de todas essas ações é ‘empoderar’ a mulher do campo e das regiões interioranas e de alto índice de violência. “Empoderar principalmente as que vivem em área rural, já estão sendo fechadas parcerias. A demanda da fronteira é muito maior, lá as mulheres são usadas para o tráfico como ‘mulas’, para transportar drogas”, explicou. 

A coordenadora do Codesul Fronteiras e secretária de Cidadania de Mato Grosso do Sul, Luciana Azambuja, explicou que há um intenso convívio e fluxo populacional entre as 18 cidades sul-mato-grossenses na zona fronteiriça e os municípios vizinhos no Paraguai e na Bolívia, que têm problemas semelhantes. Por isso, ela defendeu uma articulação maior e um planejamento conjunto de ações para toda a região.

“Precisamos interiorizar as políticas públicas para estas cidades e humanizar o atendimento especializado às mulheres vítimas de violência. Precisamos focar em autonomia econômica e social para elas”, finalizou.

Em setembro, Anny Espínola participará de uma reunião em Florianópolis, visando ampliar o desenvolvimento de políticas que combatam a violência contra a mulher. Será produzido um memorando com projeto específico de cooperação, com ações bilaterais e plurinacionais.

“Não é uma luta fácil, nem rápida, mas pouco a pouco vamos buscando melhorar esse quadro horroroso pintado pela violência de gênero, violência contra meninas e mulheres.” finalizou Anny.

Confira a Audiência pública sobre o projeto Codesul fronteiras para mapeamento e diagnóstico da violência contra as mulheres do Codesul. Codesul - Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul - Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

 

Reunião após a audiência para falarmos das ações futuras , produzir um memorando com projeto específico, cooperação na área de Fronteiras, equalização, elencar as ações bilateral e plurinacional.
Reunião com o embaixador Adalnio Senna Ganem (Assessor Diplomático da Presidência) para as tratativas de encaminhamento para a Itamaraty.
A proposta trará dados sobre ações em curso conduzidas por municípios brasileiros e [apontará] de que forma as cidades dos outros países podem incrementar estas políticas públicas.
Anny Espínola juntamente com Adalnio Senna Ganem (Embaixador e Assessor Diplomático da Presidência), e Nimia da Silva Boschert (Ministra da Embaixada da República do Paraguai)

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário