Português Italian English Spanish

Bolsonaro 'não vê como adequado' a participação dele e ministros em protesto

Bolsonaro 'não vê como adequado' a participação dele e ministros em protesto

Data de Publicação: 21 de maio de 2019 Parlamentares do PSL convocam políticos em ato voltado para a defesa das pautas prioritárias; o tema causou racha no partido

 

O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, confirmou que o presidente Jair Bolsonaro recomendou aos ministros que não compareçam às manifestações previstas para o dia 26 de maio em favor do próprio governo. A informação foi dada durante reunião com o Conselho Ministerial na manhã desta terça-feira (21).

"De fato. O presidente hoje comentou na reunião do Conselho do governo que não vê como adequado a participação dos ministros [na manifestação]. Tão pouco da sua própria pessoa", afirmou, durante reunião de briefing.

O porta-voz enfatizou que o presidente defente que as manifestações "tem sempre um caráter livre e espontâneo, especiamente essa". Ele afirma que os protestos devem ocorrer de forma "pacífica, não sendo contra um grupo e instituição e não havendo participação do governo". 

O presidente havia agradecido nas redes sociais a manifestação dos apoiadores, sem comentar a participação dos membros do governo. As convocações estão sendo feitas principalmente pelos parlamentares do PSL.  O tema gerou conflito dentro do partido, que se dividiu entre aqueles que concordam com a organização do ato ter participação ou não dos governistas. 

Direita dividida
O protesto visa defender as pautas prioritárias do governo: a reforma da Previdência; o pacote de "lei anticrime"; a flexibilização da posse e porte de armas e a permanência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

O tema dominou as discussões políticas durante o final de semana após o Movimento Brasil Livre (MBL) e a deputada estadual Janaína Pachoal (PSL-SP) não aderirem ao movimento.

Janaína foi às redes sociais responder seus seguidores que perceberam a sua ausência entre os entusiastas do protesto. A deputada afirmou que os parlamentares podem estar "instigando o caos" e que quem está no poder não deve convocar os atos. 

"Eu não vou gravar áudios, nem vídeos, por uma razão: essas manifestações não têm racionalidade. O Presidente foi eleito para governar nas regras democráticas, nos termos da Constituição Federal. Propositalmente, ele está confundindo discussões democráticas com toma-lá-dá-cá", escreveu, no Twitter, sendo compartilhada pelo MBL. 

 

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário