Português Italian English Spanish

Suspeita do uso de 'laranjas' repercute entre políticos do PSL

Suspeita do uso de 'laranjas' repercute entre políticos do PSL

A necessidade de investigar as suspeitas o tem sido o principal ponto defendido pelos correligionários

As suspeitas contra o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência da República, repercutiu entre os parlamentares do PSL. Reportagens dos jornais Folha de S. Paulo e o Globo revelam que a prestação de contas eleitorais apresentam possível esquema de uso de 'laranjas', para concentração de recursos do Fundo Eleitoral - que se trata de verba pública. Repasses teriam sido feitos a uma gráfica de fachada.

Ao contrário do foco de defesa na maioria dos casos, que visa argumentar o uso de "fake news" contra o governo, os políticos, desta vez, defendem a apuração do caso. 

A deputada Joice Hasselmann, sem citar o tema expressamente, postou nas redes sociais que defende a verdade. "som da verdade é bonito, agrada os ouvidos de quem tem bom coração. Que as verdades apareçam", escreveu no Twitter.

O deputado Alexandre Frota, se manifestou de forma breve: Quem erra paga. Eu não vou me meter. Cada um segure seu BO", afirmou.


A deputada Janaína Paschoal minimizou uma possível culpa do ministro. "O fato de Bebianno ter assinado a liberação do dinheiro, na condição de presidente do Partido, não o torna automaticamente culpado, pois ele era a pessoa competente para assinar a documentação. Temos que saber quem, eventualmente, ficou o dinheiro. Entendem?", escreveu.

O líder do PSL no Senado e presidente do partido em São Paulo, Major Olímpio, chegou a informar a imprensa sobre uma coletiva para tratar do tema no Congresso Nacional, mas desmarcou em cima da hora. 

Investigação
Mais cedo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que o governo vai investigar o caso

"O presidente Jair Bolsonaro proferiu uma determinação e ela está sendo cumprida. Os fatos vão ser apurados e, após as investigações, eventuais responsabilidades vão ser definidas", disse o ministro.

O próprio Bolsonaro, em entrevista concedida à TV Record, disse que apoia a investigação sobre filiados ao PSL.

O presidente reiterou que é uma "minoria" dentro do partido que está sob suspeita e que a Polícia Federal foi encarregada de acompanhar o caso. "O partido tem de ter consciência. Não são todos, é uma minoria. Logo depois da minha eleição, eu dei carta branca para apurar qualquer tipo de crime de corrupção e lavagem de dinheiro", disse.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário