Português Italian English Spanish

25% não conseguem pagar o valor total da fatura do cartão

25% não conseguem pagar o valor total da fatura do cartão


Pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) com usuários de cartão de crédito de 12 capitais apontou que, mesmo com Selic em queda, 40% dos brasileiros têm percepção de que juros continuam aumentando. E é verdade. Ainda que a taxa básica de juros se mantenha a mesma (6,50%) há quase um ano, ela não influencia a política de concessão de financiamento dos bancos nem o crédito rotativo.

Em dezembro, a média do rotativo do cartão de crédito subiu 5,6 pontos percentuais em dezembro, em relação ao mês anterior, chegando a 285,4% ao ano. Em meio ao cenário de desemprego, o consumidor brasileiro tem enfrentado dificuldades para quitar a fatura do cartão de crédito, modalidade que cobra os juros mais elevados do mercado.

Em dezembro, 62,6 milhões de pessoas tinham dívidas em atraso. E segundo a pesquisa do SPC, 25% dos usuários do cartão de crédito não conseguiram pagar o valor integral da fatura, entrando no chamado crédito rotativo.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a conveniência, segurança e aumento da aceitação do cartão de crédito explicam a situação, mas o usuário deve tomar cuidado com o risco de endividamento excessivo.

"O cartão de crédito é hoje um meio de pagamento usualmente aceito em diversos estabelecimentos e a tendência é que se consolide como a principal forma de pagamento em um futuro bastante próximo. Apesar da facilidade de seu uso, o consumidor deve se manter em alerta para não se exceder nos gastos, pois em virtude dos juros, o valor da fatura pode se multiplicar em um curto espaço de tempo, tornando a dívida muitas vezes impagável", afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Controlando gastos

O professor de finanças Gerson Fraulich recomenda que disciplina para os consumidores que querem acabar com o endividamento.

"O primeiro passo é parar de gastar. Se você paga o valor mínimo, em geral, a operadora do cartão oferece parcelamento. Nesse caso, confira os juros e se o valor da parcela cabe no sue orçamento. Nunca perca o prazo da fatura, pois os juros só aumentarão o preço final. Também pode ser vantajoso obter um empréstimo no banco, a juros menores para pagar a dívida", ensina.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário